De gol histórico para fora dos planos: Luiz Adriano não seguirá no Palmeiras em 2022

Luiz Adriano comemora seu gol pelo Palmeiras contra o Sport, durante partida válida pela vigésima oitava rodada do Brasileirão 2021, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Há quase um ano, Luiz Adriano anotava um dos gols da vitória palmeirense por 3 a 0 sobre o River Plate; hoje, jogador não faz parte do planejamento de Abel e sua comissão técnica

No dia 5 de janeiro de 2021, o Palmeiras foi até Avellaneda para enfrentar o River Plate pela semifinal da Copa Libertadores 2020. Com uma enorme exibição coletiva, o Verdão surpreendeu o adversário e venceu o duelo por 3 a 0.

Aos 2 minutos do segundo tempo, quando o placar já apontava uma vitória parcial palmeirense (1 a 0), Luiz Adriano recebeu um passe no meio de campo de Danilo; girou sobre o zagueiro Rojas, arrancou contra o gol defendido por Armani e tocou com categoria por baixo do goleiro, fazendo 2 a 0 para o Verdão.

Àquela altura, o atacante, contratado em agosto de 2019, marcava seu 18º tento na temporada e firmava-se como o principal goleador da equipe em 2020/2021 – Luiz acabou o período com 20 gols marcados.

Pouco mais de um ano depois, no entanto, a história do camisa 10 dentro do clube mudou drasticamente.

Luiz Adriano diminui participação em gols e tem concorrência de Deyverson

A temporada de 2020 terminou e, apesar de não ter ido às redes nos últimos jogos, Luiz Adriano seguia prestigiado – a equipe, afinal, havia acabado de conquistar o bicampeonato da Libertadores e o tetra da Copa do Brasil.

Nas primeiras partidas da temporada 2021, contudo, o atacante caiu de rendimento. Durante as disputas do Campeonato Paulista e da primeira fase da Libertadores de 2021, o camisa 10 foi a campo 11 vezes e marcou apenas dois gols. Já na Copa do Brasil, teve em seus pés a chance de eliminar o CRB nas penalidades máximas, mas desperdiçou a cobrança.

Luiz Adriano iniciou o Brasileirão como titular, chegou a balançar as redes da Chapecoense na segunda rodada, mas novamente não conseguiu performar bem e perdeu a vaga na equipe. Primeiro, o jogador viu Deyverson, que possui características diferentes das suas, retornar ao clube e engatar uma sequência na equipe. Depois, nos últimos meses do ano e com os jogos decisivos próximos de acontecerem, viu Abel Ferreira escolher Rony como atleta mais avançado no ataque. Encerrou o ano com apenas 35 aparições e cinco gols.

Discussão e relação estremecida com a torcida

Durante o período em que esteve em baixa, Luiz foi alvo de muitas críticas dos palmeirenses nas redes sociais que resultou em uma discussão entre o atacante e um torcedor no Allianz Parque, durante o aquecimento para o jogo entre Palmeiras e Red Bull Bragantino, perdido pelo Verdão por 4 a 2.

Depois do ocorrido, o camisa 10 não teve mais seu nome cantado pelos torcedores antes do início de cada partida e viu a relação ficar ainda mais estremecida em outras duas situações: no confronto diante do Sport, quando ao fazer o gol de empate da equipe no jogo, comemorou pedindo silêncio ao público; e ao aplaudir ironicamente as vaias das arquibancadas ao ser substituído contra o SPFC.

Por conta desses episódios, o Palmeiras decidiu por não contar com o jogador para a temporada 2022, apesar de ainda tê-lo sob contrato até a metade de 2023. Na tarde de quarta-feira, em entrevista coletiva na Academia de Futebol, o diretor de futebol Anderson Barros falou sobre o “encerramento de ciclo” do atleta.

“Trabalhamos com ele por duas temporadas, tivemos ótimos resultados, mas entendemos que há um encerramento de um ciclo. Foi dessa forma que chegamos à decisão. Comunicamos o atleta da forma mais transparente possível. Foi algo definido em conjunto e o Luiz Adriano, hoje, não faz parte deste planejamento inicial”, declarou.

Após gols em semifinais de Libertadores, Copa do Brasil e Paulistão, além de um tento na final do estadual de 2020 contra o maior rival, Luiz Adriano pode ter sua passagem pelo Palmeiras encerrada com 106 partidas disputadas, 32 gols marcados e quatro troféus: Campeonato Paulista (2020), Copa do Brasil (2020) e duas Libertadores (2020 e 2021).

  • Esse jogador tem todas as qualidades técnicas para ser pelo menos um bom reserva.

    Foi elogiado publicamente mais de uma vez pelo treinador por ser um segundo técnico dentro de campo, pela habilidade em sair da área e arredondar jogadas e pela disciplina tática.

    Mas quando a cabeça é fraca, não há técnica que dê jeito.

    Para onde quer que vá, já chegará com o filme meio queimado por ter cuspido no prato em que comeu. Uma lástima.