Abel lamenta falta de agressividade do Palmeiras em derrota no Derby

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o SCCP, válido pela vigésima primeira rodada do Brasileirão 2021, no Itaquerão.
Cesar Greco

Abel também projetou o duelo contra o Atlético-MG e destacou que trabalhará o psicológico dos atletas

O Palmeiras encarou o SCCP na noite deste sábado, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro, e saiu derrotado de Itaquera por 2 a 1 – Gabriel Menino, aos 46 minutos do primeiro tempo, foi o autor do único gol palmeirense.

Em entrevista coletiva após o jogo, o técnico Abel Ferreira fez uma análise do duelo e apontou a falta de agressividade da equipe como um dos principais fatores para a derrota.

“O SCCP é uma equipe que espera mais e sai em transição. Nós conseguimos chegar aos corredores e sair bem de trás. Conseguimos também criar oportunidades mesmo com o adversário defendendo em bloco baixo. O primeiro tempo foi muito equilibrado, mas sofremos um gol em um lance que faltou agressividade e isso não pode faltar em um Derby. Nós temos que ganhar as divididas e não podemos sofrer um gol dessa maneira. Mas a equipe manteve a serenidade e continuou impondo seu jogo e alcançamos o empate com toda a justiça”, avaliou.

“Na segunda parte, antes de levarmos o gol nós tivemos quatro boas oportunidades e o futebol é isso: quem não faz é penalizado. Então não adianta dizermos que jogamos bem e arrematamos bem mais que o nosso adversário (16 contra 8), porque no final eles ganharam e o jogo foi resolvido através de uma ação individual de um jogador”, acrescentou.

O primeiro gol do rival, comentado pelo técnico, aconteceu depois que Luan e Patrick de Paula perderam divididas com Renato Augusto no início da jogada.

“Nós precisaremos rever e mostrar aos jogadores, principalmente a um atleta em particular, a jogada do primeiro gol que sofremos. Agressividade e experiência competitiva ganhamos apenas jogando. Temos uma regra que, após a perda de bola, temos que fazer falta e ser combativos. Isso é muito claro para os nossos jogadores”, comentou.

Apesar da derrota complicar um pouco mais as chances de título no Brasileiro, o comandante afirmou que o campeonato ainda está aberto e avisou: “eu não joguei a toalha”. 

Abel fala sobre o jogo contra o Atlético-MG, na terça-feira

O Palmeiras volta as atenções para a Copa Libertadores, quando enfrentará na próxima terça-feira o Atlético-MG pelo segundo jogo da semifinal. Após empatar o jogo de ida em 0 a 0, o Verdão joga por outra igualdade, desde que com gols, para tentar chegar à final.

Para Abel Ferreira, além dos trabalhos técnicos e táticos, os próximos dias serão importantes para trabalhar a parte mental dos jogadores.

“No próximo jogo estaremos prontos, concentrados. As regras das 24 horas servem tanto para vitórias quanto para as derrotas. O jogador brasileiro tem muita qualidade técnica e é bom fisicamente, mas ainda é preciso melhorar a parte mental. Estamos trabalhando nisso, o clube nos dá condições. Há diversos jogadores e treinadores que são ótimos, mas o que faz a diferença é o psicológico. O quanto é focado, concentrado e competitivo. Competir é tudo. Vai ser um jogo que decide quem vai à final da Libertadores. Jogaremos contra uma equipe ‘cascuda’ e que fez investimentos, mas nós temos as nossas armas e daremos o nosso melhor”, finalizou.

O duelo contra o Atlético será disputado no Mineirão, às 21h30 da próxima terça-feira.