Festa, provocação e emoção: jogadores do Palmeiras celebram título Paulista; confira

Jogadores do Palmeiras em comemoração após gols contra o SPFC, durante segunda partida válida pela final do Paulistão 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Jogadores do Palmeiras concederam entrevistas no gramado do Allianz Parque e falaram sobre a conquista de mais um título

Após derrota no jogo de ida por 3 a 1, no Morumbi, o Palmeiras goleou o SPFC por 4 a 0 (5 a 3 no placar agregado) e conquistou o título do Campeonato Paulista de 2022. Raphael Veiga, duas vezes, Danilo e Zé Rafael foram os autores dos gols palmeirenses.

Ao final do jogo, diversos jogadores do Palmeiras concederam entrevistas no gramado do Allianz Parque e celebraram a conquista de mais um troféu – o sexto desde agosto de 2020 – além de também provocarem o rival.

Confira as entrevistas dos jogadores do Palmeiras

  • Raphael Veiga

[Sobre novamente ser decisivo em finais] “Marcar gols é sempre bom, mas em decisão é melhor. Sou um cara que gosta de melhorar meus números, ser decisivo, ajudar. Ainda que eu não tivesse feito os gols, mas a gente tivesse sido campeão eu já estaria feliz”.

[Sobre a virada do Palmeiras em cima do SPFC] “O mais importante foi a nossa postura. Nem sempre estaremos em um dia bom, mas a confiança que temos no grupo, o trabalho de toda a comissão e a dedicação de todos faz com que eu possa dar uma entrevista daquela [no Morumbi, quando Veiga disse que o segundo jogo da final seria diferente]. Aqui [no Allianz Parque] eu sabia que seria diferente por causa da atmosfera, pela nossa concentração e intensidade. No futebol, todo mundo tem que respeitar e nunca cantar a vitória antes”.

  • Weverton

[Sobre a festa da torcida] “Nós reconhecemos que fizemos um mau jogo na ida. Mas hoje tivemos a oportunidade de reverter, com o apoio da torcida. Mesmo com o 3 a 1 para eles, a torcida acreditou e fez uma festa espetacular. Hoje ficará marcado para o resto da vida. Nós ganhamos duas Libertadores, mas nenhuma delas foi igual ao jogo de hoje [domingo]. Foi tremendo. Eu nunca havia vivido isso, essa energia no estádio”.

[Levantar mais um troféu] “Muito feliz conquistar mais um título, marcar uma época. Ser lembrado como uma geração vencedora. Jogamos como se estivesse valendo um prato de comida, queríamos fazer história”.

  • Gustavo Scarpa

[Sobre a partida] “Temos muito mérito por aquilo que estamos apresentando, nossa equipe está muito entrosada. Fizemos um primeiro jogo muito ruim, mas hoje mostramos a força dessa equipe, mais uma vez. Tivemos humildade, sabíamos que eles tinham feito um bom resultado, mas nós também sabíamos da nossa capacidade de reverter. Foi um jogo insano, não demos chances nenhuma para eles. Todos estão de parabéns”.

[Sobre a preparação para a partida] “Duas coisas chamaram a atenção de todo mundo: a soberba da torcida deles no jogo de ida, quando começaram a cantar ‘mais um, mais um’; e a tranquilidade da nossa equipe no dia seguinte, porque a gente sabe da nossa qualidade”.

[Momento no Palmeiras] “Uma das preocupações de um jogador de futebol é não ter títulos na carreira. E esses dois últimos anos de Palmeiras têm sido muito insanos, tanto na questão de títulos como em desempenho. Pra mim é muito gratificante fazer parte desse momento do Palmeiras. Sem dúvida é a geração mais vencedora”.

  • Dudu

[Sobre suas conquistas no Palmeiras] “Sinto-me muito orgulhoso por tudo que venho conquistando no Palmeiras. Ano passado cheguei no meio da temporada, vindo de 45 dias de férias. Esse ano me preparei, treinei nas férias, evoluí na parte física. Agora é curtir o momento, a gente trabalha muito no dia a dia e estamos de parabéns por tudo que a gente vem fazendo de 2015 pra cá”.

[Projeção para a temporada] “Ainda é começo de temporada, mas já ganhamos dois títulos. A equipe está de parabéns. Espero que durante o ano a gente mantenha o trabalho e que conquistemos mais títulos”.

  • Danilo

[Sobre a festa da torcida] “É sempre bom brincar. Os caras estavam cagados. Acho que a torcida fez os trikas tremerem”.

[Preparação para a partida] “Quando eles fizeram o terceiro eu não consegui mais assistir porque fiquei nervoso [risos]. Quando eu fui deitar o meu irmão me falou que o Veiga tinha feito um gol. E hoje, pra mim, teve um frio na barriga, mas era um jogo normal. Entrei com o mesmo pensamento de ganhar e deu tudo certo. Receber elogios é sempre bom, mas tem que manter os pés no chão e o foco para continuar fazendo boas partidas e ganhar mais títulos com o Palmeiras”.

  • Zé Rafael

[Desconfiança da torcida] “O importante é mostrar dentro de campo. A gente sabe que a torcida tem preferência por um ou por outro, mas fico tranquilo. Trabalho para sempre estar nesses jogos, ganhar títulos. Vou seguir fazendo isso, deixar os outros falarem e acumular medalhas”.

[Resposta ao adversário] “Não dá para cantar vitória antes da hora, principalmente porque somos competitivos e jogaríamos em nossa casa. O resultado não poderia ser diferente. Os caras vão ter pesadelos com a gente”.

  • Jorge

[Emoção de mais um título com o Palmeiras] “Só a gente sabe a pressão que é o dia a dia de um time grande como o Palmeiras. Estou há oito meses no clube, que me recebeu de braços abertos, e já conquistei três títulos. Fui tratado de uma forma que eu não esperava. Fiquei 11 meses parado, finalizei uma recuperação de ligamento cruzado, que é uma lesão muito complicada. [conquistar os títulos] é incrível, inexplicável”.

Campeão Paulista pela 24ª vez em sua História, o Palmeiras não terá muito tempo para comemorar, já que na próxima quarta-feira a equipe enfrenta o Deportivo Táchira, em partida válida pela primeira rodada da fase de grupos da Libertadores 2022, na Venezuela, às 21h.