Anderson Barros revela pedido à CBF para adiar clássico contra o Santos

O diretor de futebol do Palmeiras Anderson Barros, concede entrevista coletiva, na Academia de Futebol.
Cesar Greco

Diretor de futebol do Palmeiras, Anderson Barros quer o adiamento por conta das ausências de Weverton e Danilo, que foram convocados

O goleiro Weverton e o meio-campista Danilo foram convocados pelo técnico Tite, da Seleção Brasileira, na quarta-feira, e desfalcarão o Palmeiras em até cinco partidas. Por conta da ausência dos dois, que são titulares da equipe de Abel Ferreira, o clube pediu à CBF o adiamento do clássico contra o Santos, marcado para o dia 29 de maio.

“São três, quatro e por que não cinco jogos? A Seleção vai voltar da Ásia numa terça, e o Palmeiras tem jogo na quarta, contra o Atlético-GO. Como você aproveita da melhor forma esses atletas? O jogo do Santos não está nem dentro da data Fifa, mas tem que liberar antes para que eles possam obedecer a programação. Acho que a CBF não pode permitir esse desequilíbrio hoje. É o mínimo que ela pode atender é à solicitação do Palmeiras para que esse jogo contra o Santos seja adiado”, disse Anderson Barros, em entrevista ao site GE.

De acordo com a entidade, os convocados que atuam no futebol brasileiro devem se juntar à seleção no dia 26 de maio. O Brasil enfrentará a Coréia do Sul, no dia 2 de junho, e o Japão, no dia 6. Há a possibilidade de mais um amistoso ocorrer, já que o duelo contra a Argentina, marcado para o dia 11, foi cancelado e a CBF busca um novo adversário.

“O Palmeiras perde esses dois, mas tem outros atletas selecionados, como é o caso do Gustavo Gómez. Não perde dois, perde três porque faz um bom trabalho. Quantos países no mundo não param por causa de uma data Fifa. A gente fica extremamente prejudicado”, complementou o diretor de futebol.

Caso se confirme a realização do terceiro amistoso, além do clássico contra o time de Vila Belmiro, os palmeirenses desfalcarão a equipe contra o Atlético-MG, Botafogo e Coritiba. O duelo frente ao Atlético-GO, citado por Anderson Barros, também pode não ter a presença dos selecionados.

Anderson Barros critica calendário do futebol brasileiro

Desde que chegou ao Palmeiras, Abel Ferreira sempre teve que lidar com as ausências de seus principais jogadores por conta de convocações. Em inúmeras oportunidades o treinador criticou a organização do calendário do futebol brasileiro, que não pausa os campeonatos em datas Fifa.

“O calendário hoje prejudica principalmente aqueles que fazem um bom trabalho. O Palmeiras é um clube que nos últimos anos chega em quase todas as finais e por isso é penalizado por ter um número de jogos excessivos, tem uma condição de treinamento diferente dos demais clubes. Tudo isso por causa de um calendário em que a gente não é capaz de encontrar soluções”, criticou Barros.

“Nós acabamos por prejudicar o trabalho de toda uma comissão técnica, não só do Abel. De todos os profissionais, porque não conseguimos entregar a eles todos os atletas em condições. É uma situação extremamente delicada, mas que as partes não podem ser prejudicadas. Temos que sentar, discutir e encontrar uma solução para isso. Precisamos atender a Seleção? Sim. Como você não permite que um atleta convocado não esteja na seleção a quatro ou cinco meses de uma Copa do Mundo? Não podemos fazer isso e nunca fizemos isso. O que a gente pede hoje é que a CBF tenha essa sensibilidade e encontre um caminho, principalmente para o jogo do Santos”, finalizou.

Everaldo Coelho, diretor de marketing do Palmeiras, faz promessas e deseja 100 mil sócios Avanti até o final do ano

“Atacando em várias frentes”, Everaldo Coelho, diretor de marketing do Palmeiras, faz promessas e deseja 100 mil sócios Avanti até o final do ano.
Reprodução

No comando do marketing do Palmeiras desde o início do ano, Everaldo Coelho concedeu entrevista ao canal de YouTube do jornalista Paulo Massini, na noite de segunda-feira

Na noite de segunda-feira, Everaldo Coelho, novo diretor de marketing do Palmeiras, concedeu entrevista aos jornalistas Paulo Massini, Diego Iwata e Willian Correia e garantiu a todo instante que o Palmeiras “está atacando em diversas frentes [no marketing]” para gerar mais receitas ao clube, mas não se aprofundou em nenhum tema e preferiu também não estipular prazos.

O diretor comentou sobre a entrada do Palmeiras no marketing digital (e-sports, metaverso, NFTs), o patrocínio no futebol feminino e nos esportes amadores, o alcance do Avanti, defendeu o valor pago pela Crefisa para patrocinar o clube, entre outros assuntos.

“Eu, com 45 anos [de experiência] trabalhando no setor financeiro, aprendi que a gente só coloca prazo quando está fechado. E a presidente é a primeira a cobrar os prazos que a gente se prontificou a colocar. Algumas coisas estão caminhando, mas tenho a visão que temos que fechar com parceiros de relevância. Estamos em um momento de transformação. Assumi no começo desse ano e nesses dois primeiros meses tivemos o atropelo natural do Mundial, tivemos a reestruturação do departamento, que foi necessário. Se falar que o carro está trocando o pneu andando, pode até ser”, disse.

“Temos um patrocínio forte, temos grandes parceiros. A gente tem que evoluir aquilo que a gente imagina que pode melhorar. Minha prioridade hoje é que o torcedor Avanti seja melhor atendido. Estamos discutindo patrocínios para os outros esportes, há valores e preços, é preciso negociar cada um deles. As propriedades são infinitas e temos que achar outras formas de comercializar. Naquilo que a gente tem, está tudo caminhando dentro do que nós esperamos. Tudo requer calma”.

Confira os principais temas respondidos por Everaldo Coelho

  • Restruturação no departamento de marketing

“Sob minha gestão, além do marketing, temos a comunicação e a TV Palmeiras. Somadas essas três áreas temos 44 profissionais […] Houve uma restruturação em cargos gerenciais porque havia um em cada produto oferecido pelo clube (licenciamento, lojas físicas e online, escola de futebol, entre outros), e isso não me parece ser muito adequado. Por isso fizemos a restruturação. A gente entende que, em uma visão mais piramidal, com gestão e equipe para gerir cada processo que queremos trabalhar, é muito mais rápido e conseguimos resultados maiores”.

  • Maketing digital

“Estamos trabalhando fortemente em uma plataforma única de relacionamento com o torcedor. Para que tudo que o torcedor quiser, ele acesse lá. E aí vai para FanTokens, NFTs, Metaverso, realidade aumentada, carteira digital. Na inteligência artificial, você precisa estar dois passos na frente. Estamos focados nessas frentes. O Palmeiras irá ‘surfar nessas ondas’”.

  • E-sports

“Estamos trabalhando em uma frente diferente em relação aos outros clubes que entraram no E-sports. Eles entraram com parcerias e a maioria não deu certo. Estamos vendo de transformar em uma atividade esportiva dentro do Palmeiras, queremos criar uma equipe, temos dois parceiros fortes, que ainda não podemos revelar. Essa modalidade [o E-sports] vem crescendo muito no mundo inteiro, os influencers deste segmento têm grande envolvimento com os jovens. A gente está investindo forte”.

  • Sócio Avanti e Match Day (ações no Allianz Parque em dias de jogo)

“Queremos chegar aos 100 mil sócios Avanti até o final do ano. Estamos trabalhando fortemente nisso. Até julho quero entregar o Match Day completo, no nível que vemos fora do Brasil. Há algumas coisas que ainda não podemos revelar, mas terá atrações em que a pessoa entra e participa, principalmente o Avanti. Ele será cada vez mais valorizado, vamos entregar novas experiências. Não será apenas um simples espectador”.

“Para o torcedor Avanti que está fora de São Paulo, a primeira coisa que fizemos foi a carreta interativa, que tem os troféus da Libertadores, os mascotes e ativação do Avanti. Nós vamos cada vez mais construir eventos. Temos muitos consulados. Estamos construindo muitas coisas para que essa relação seja cada vez melhor, como por exemplo levar a equipe para fazer uma pré-temporada em outro estado”.

  • Patrocínio para o futebol feminino e outros esportes

“[Sobre o futebol feminino] estamos terminando uma discussão com 3, 4 parceiros. Por questão de confidencialidade não podemos abrir ainda. Assim como no basquete, futsal. Estamos fechando um pacote com eles. Há muitos interessados em várias formas de patrocinar o Palmeiras”.

  • Patrocínio de empresas no ramo de apostas esportivas

“O Palmeiras tinha uma parceria com uma casa de apostas até o final do ano passado. Encerramos aquele contrato e hoje estamos discutindo valor com 4, 5 empresas. Temos que nos preocupar com quem está se relacionando com a marca Palmeiras. Sou guardião da marca. Temos várias propriedades que podemos usar [para colocar a casa de aposta]”.

  • Sobre o patrocínio da Crefisa

“Não dá para falar que esse patrocínio está defasado. São mais R$100 milhões (R$80 pelas propriedades da camisa mais premiações). Se vier uma nova empresa, disposta a investir e que dará mais dinheiro ao Palmeiras, estendemos o tapete verde. A Leila já havia falado sobre isso em sua coletiva de apresentação”.

  • Sobre a proposta de campanha de Leila Pereira para diminuir o preço da camisa oficial

“Tivemos reuniões com a Puma e estamos buscando uma saída para isso. O preço da camisa é realmente alto para os brasileiros. Estamos discutindo alternativas criativas com a Puma, para vermos como a gente consegue minimizar esses efeitos. Não é simples [é preciso pagar royalties à Puma]. Os dois lados precisam abrir a mão de algo. Se eu tirar os royalties, eu perco receita, mas consigo de certa forma compensar de outra forma? Estamos vendo. Nunca vamos chegar ao preço que custa hoje uma camisa pirata, mas estamos trabalhando para chegar a uma solução mais viável”.

Palmeiras divulga balancete de 2021 com superávit e receita recorde

Palmeiras divulga balancete financeiro de 2021 com receita recorde e superávit.
Reprodução

Em 2021, receita do Palmeiras ficou próxima de 1 bilhão de reais

Na noite de quinta-feira, o Palmeiras divulgou o balancete demonstrativo do ano de 2021. O clube teve no período uma receita recorde de R$ 947,5 milhões e uma despesa de R$ 824,1 milhões, o que aponta um superávit de R$ 123,4 milhões – a fim de comparação, em 2020 as contas do clube tiveram um déficit de R$ 151 milhões.

O valor de quase um bilhão em receitas foi possível diante das várias premiações que o clube alcançou pelo desempenho do time de futebol, que conquistou três títulos e três vice-campeonatos. Ainda que, no âmbito esportivo, as conquistas da Libertadores sobre o Santos e da Copa do Brasil sobre o Grêmio valessem para 2020, na questão financeira os valores recebidos entram nas contas de 2021. Além disso, a conquista da Libertadores de 2021 também entrou nessa soma.

De acordo com o demonstrativo, o total de receitas geradas somente pelo futebol foi de R$ 900,2 milhões. Outro número que também chama atenção é o prejuízo causado pelo Allianz Parque, que configurou em decorrência da pandemia um déficit de R$ 14,8 milhões (R$ 4,3 milhões de receita e R$ 19,2 de despesa).

O Palmeiras tem até o dia 30 de abril para divulgar o balanço completo de 2021.

Confira abaixo o balancete divulgado pelo Palmeiras:

Palmeiras divulga balancete financeiro de 2021 com receita recorde e superávit.
Reprodução