Palmeiras chega à 6ª final de Libertadores colecionando histórias e recordes

Palmeiras chega à sexta final de Libertadores colecionando histórias e recordes.
Reprodução

Bicampeão, Palmeiras tenta o tri para igualar Grêmio, Santos e SPFC como os brasileiros com mais títulos da Libertadores

No próximo sábado, o Palmeiras entra em campo para enfrentar o Flamengo, em busca de mais um título de Libertadores. Campeão em 1999 e 2020, o Verdão está pela sexta vez em sua História na grande decisão.

Em 1961, quando disputou a competição pela primeira vez, o Palmeiras passou pelo campeão argentino (Independiente) e colombiano (Independiente Santa Fé) nas quartas-de-final e semifinal, respectivamente, para chegar à decisão contra os uruguaios do Peñarol. Apesar de um duelo equilibrado no estádio Centenário (estádio que será palco da decisão de 2021), a equipe perdeu o primeiro jogo por 1 a 0 e, na volta, empatou com o adversário por 1 a 1 no Pacaembu, não conseguindo o título.

O Verdão voltou a disputar o torneio sete anos depois, em 1968, e repetiu o vice-campeonato, perdendo a final para o Estudiantes, da Argentina. Mesmo não conquistando nenhum troféu até aquele momento, o Palmeiras já demonstrava sua força e marcava seu nome como um dos grandes da Libertadores.

Após jogar a competição por quatro vezes nos anos 70, sendo prejudicado em duas oportunidades (em 73 para a arbitragem de Armando Marques e em 74 pela Seleção Brasileira), a equipe retornou ao protagonismo nos anos 90.

Jogos históricos e primeiro título do Palmeiras na Libertadores

Marcos saindo pra comemorar a conquista da Libertadores de 1999, pelo Palmeiras, em pleno Palestra Itália.
Reprodução

As campanhas de 1994 e 1995, apesar de não terem terminado em títulos, ficaram marcadas por jogos históricos. Em 94, o Verdão aplicou a maior derrota ao Boca Juniors fora de seus domínios, ao vencer os argentinos por 6 a 1, no Palestra Italia. Já no ano seguinte, a equipe quase reverteu um placar de 5 a 0 para o Grêmio na ida das quartas-de-final – o jogo da volta foi 5 a 1 para o time palmeirense.

No final da década, contudo, veio a consagração. Treinado por Luiz Felipe Scolari, o Palmeiras chegou à sua terceira final, depois de passar por Vasco, SCCP e River Plate no mata-mata, e finalmente conquistou o primeiro título: vitória nos pênaltis sobre Deportivo Cali, na decisão de 1999.

Em 2000, no último grande time formado pelo Verdão com a parceira da Parmalat, a equipe disputou o troféu com o Boca Juniors, mas foi superado nas penalidades máximas. O grande duelo para o palmeirense na campanha, no entanto, foi a semifinal diante do SCCP, quando novamente eliminou o rival nos pênaltis com Marcos defendendo o chute de Marcelinho Carioca, principal jogador adversário.

Arbitragem trágica e participações discretas

Mesmo tendo um time abaixo, em comparação aos elencos de 1999 e 2000, o Palmeiras só não chegou à terceira final consecutiva de Libertadores, em 2001, porque foi prejudicado pelo juiz Ubaldo Aquino. No jogo de ida das semifinais contra o Boca Juniors, o árbitro paraguaio inventou um pênalti para os argentinos e ignorou um para o Palmeiras, além de ter expulsado o volante Fernando injustamente. A partida acabou em 2 a 2, mesmo placar da volta, e o Verdão acabou sucumbindo nos pênaltis.

O clube voltou a disputar a Libertadores outras três vezes na década, porém com campanhas discretas. Em 2005 e 2006, foi eliminado pelo SPFC na fase de oitavas-de-final e, em 2009, acabou saindo da competição para o Nacional, do Uruguai, nas quartas-de-final.

Recordes atingidos, Allianz Parque, e a maior sequência de participações do Palmeiras na Libertadores

Breno Lopes marca o gol decisivo na Libertadores 2021 e o Palmeiras conquista o bicampeonato contra o Santos.
Cesar Greco

Após uma passagem com pouca relevância pelo torneio em 2013, o Palmeiras voltou ao protagonismo. Tendo o Allianz Parque como um grande aliado e o título da Copa do Brasil de 2015 sobre o Santos como combustível, o Verdão sempre esteve presente na competição desde a edição de 2016 – maior sequência de participações do clube na Libertadores.

De forma gradual (queda na fase de grupos, nas oitavas, quartas e semifinais), a equipe foi se tornando um dos principais times do torneio. E com Abel Ferreira no comando e recheado de garotos da base, o Palmeiras é o atual campeão e chega à segunda final consecutiva em 2021.

A presença constante nos últimos anos, fez com que o clube atingisse números expressivos e alcançasse recordes na Libertadores, entre os times brasileiros; confira:

  • Maior número de jogos na competição: 209;
  • Maior número de participações: 22 (já computando com 2022);
  • Maior número de finais disputadas: 6 (empatado com o SPFC);
  • Mais vitórias conquistadas: 116;
  • Mais gols feitos: 390;
  • Mais vitórias como mandante: 71;
  • Mais vitórias como visitante: 44;
  • Recorde de invencibilidade como visitante: 15 jogos.
  • 6 finais, e apenas dois títulos, um time da grandeza do Palmeiras era pra ter no mínimo umas 4 Libertadores, eu já acho quase um absurdo ter ficado tantos anos com apenas 1 titulo, igual o Colo Colo, Once Caldas, LDU. Sábado vamos conseguir esse Tri e entrar pra um grupo seleto de campeões, 3 títulos de Libertadores já deixa o clube em outro patamar, sim “outro patamar” eles não inventaram essa frase