Abel analisa vitória do Palmeiras e comenta sobre ataque sofrido por Jorge

Abel Ferreira em jogo do Palmeiras contra o Emelec, durante partida válida pela fase de grupos da Libertadores 2022, no Allianz Parque.
Cesar Greco

Em entrevista coletiva, Abel falou também sobre o novo jogador do Palmeiras, Miguel Merentiel

O Palmeiras recebeu o Emelec, na noite desta quarta-feira, pela Libertadores, e venceu o adversário por 1 a 0, com gol de Danilo. Com o triunfo, o Verdão manteve o 100% de aproveitamento e está mais próximo de alcançar a melhor campanha da fase de grupos.

Ao final da partida, o técnico Abel Ferreira fez uma análise da vitória e explicou também a escalação inicial, que foi alternativa.

“Finalizamos 22 vezes contra o gol do Emelec, criamos para fazer 3 ou 4 gols, fomos dinâmicos. Mas, mesmo sendo superiores o jogo inteiro, poderíamos ter levado o empate no fim. O futebol é isso. Tem equipes que acabam por vencer suas partidas sem dar um arremate ao gol, o futebol é o único esporte em que isso é possível. A única constante no futebol é a incerteza”, disse o treinador, em entrevista coletiva.

“[Sobre a escalação inicial] optei por escalar alguns titulares, como o goleiro, o zagueiro, o meio-campista e o atacante, que são a espinha dorsal do time. O resto eu troquei como já fiz diversas vezes, e a equipe correspondeu”, complementou.

Além da vitória em cima dos equatorianos, o treinador comentou também sobre o ataque sofrido pelo lateral-esquerdo Jorge, na manhã da última terça-feira, próximo à Academia de Futebol, em que o jogador sofreu ameaças verbais e teve o vidro do carro danificado. Abel fez uma reflexão e pontuou a responsabilidade da imprensa neste tipo de caso.

“A responsabilidade também é de vocês [da imprensa]. Vocês querem sempre achar um culpado, um vilão. Nós colhemos aquilo que plantamos. As agressões não são só físicas, são verbais. Muitos são sensacionalistas, querem cliques, mas isso tem um retorno, que é a violência. Quem tem o microfone, seja jogador, treinador ou profissional da imprensa, tem uma responsabilidade imensa. Se não tivermos ciência dessa responsabilidade, vamos continuar vendo esses atos isolados”, disse ele.

“Somos uma família de trabalho. Esses jogadores se dedicam muito, as pessoas não imaginam, eles dormem mais vezes no Palmeiras do que em suas casas”, prosseguiu.

Abel comenta nova contratação do Palmeiras

Outro assunto da coletiva do treinador palmeirense foi o atacante uruguaio Miguel Merentiel, anunciado como novo reforço da equipe nesta quarta-feira. O comandante citou algumas características do jogador e pediu calma.

“Encontramos um jogador que pode melhorar e ajudar o que já temos, Navarro e Rony, apesar de [o Merentiel] só poder ser utilizado daqui a dois meses, que são mais ou menos 18 jogos. Já sei que essa camisa pesa muito. Vão querer que faça 15 gols logo, e se não fizer, não presta. Temos que perceber que os jogadores não são máquinas. Tem que ter tempo de adaptação para a exigência do treino e a exigência da forma de jogar da nossa equipe”, declarou.

“Que todos tenham paciência. O treinador vai ter, os jogadores vão ter. Não sei se a comunicação social vai ter. Vocês querem, e os torcedores querem, jogadores de renome, mas que venham aqui acabar a carreira. Não quero jogadores que venham aqui para acabar a carreira. Quero jogadores que possam continuar a crescer na carreira”, acrescentou Abel, que finalizou.

“É um jogador que demonstrou muita vontade de vir, tem mais características de profundidade, mais agudo. Não gosto de centroavante que fica à espera da bola, gosto de centroavantes móveis. Mas, porventura, vamos ainda à procura que outro possa nos ajudar nessa função”.

O Palmeiras volta a campo no próximo dia 21 para enfrentar o Juventude, pelo Campeonato Brasileiro. O duelo ocorre na casa do adversário, em Caxias do Sul.

  • Mais uma vez (praxe, aliás) a entrevista do comandante foi extremamente proveitosa e reflexiva – a forma como ele relacionou o papel da imprensa no caso da agressão sofrida pelo Jorge, me fez lembrar de uma música dos Engenheiros do Hawaii, em que ‘A violência travestida faz seu trottoir’. O conteúdo e a forma como Abel expressa suas ideias e reflexões é o total oposto do que se ouve da presidente, sempre que a mesma tem o microfone diante de si…