Palmeiras homenageia ídolos da 1ª e da 2ª Academia

Homenagem aos ex-atletas e ídolos que compuseram as equipes de 1960 e 1970, na Academia de Futebol, em São Paulo-SP.
Fabio Menotti

Ídolos como Ademir da Guia, Dudu, César Maluco, Leão, entre outros, receberam títulos sociais vitalícios

O Palmeiras recebeu, na tarde de ontem em seu Centro de Treinamento, os ídolos que fizeram parte da primeira e da segunda Academia para homenageá-los. Os ex-jogadores foram condecorados com um título remido do clube social, que os permitem usufruir das dependências do clube até o fim da vida e também participarem da política do clube.

Ao todo, 27 ex-jogadores das décadas de 60 e 70 receberam a homenagem, sendo que 14 estiveram presentes na cerimônia. Foram eles: Ademir da Guia, Arouca, César Maluco, De Rosis, Dudu, Edu Bala, Leão, Mário Motta, Nei, Picasso, Pio, Polaco, Procópio e Zeca.

Os outros 13 que não puderam comparecer ao evento e receberam o título à distância, foram: Eurico, Luís Pereira, Alfredo Mostarda, Leivinha, Madurga, Jair Gonçalves, Careca, Nelson Coruja, Julio Amaral, Rinaldo, Santo, Maidana e Baldochi.

O técnico Abel Ferreira esteve ao lado do presidente Maurício Galiotte e outros membros da diretoria na celebração, e entregou um dos títulos a Arouca, zagueiro português que atuou no Verdão de 1974 a 1977.

Ídolos do Palmeiras falam sobre receberem a homenagem

O primeiro ex-jogador a ser agraciado foi o Divino, Ademir da Guia, maior jogador da História do Palmeiras, com 904 partidas disputadas e 11 títulos conquistados. “Temos realmente que agradecer à nossa Sociedade Esportiva Palmeiras, onde passamos muitos anos, disputamos muitos campeonatos e vivemos muitas glórias. Obrigado, Palmeiras”, declarou.

Parceiro de Ademir no meio de campo palmeirense, Dudu também agradeceu ao clube: “A gente fica agradecido e muito contente por essas homenagens que o Palmeiras nos proporciona. E também por poder rever os amigos daquela época. Isso enche o nosso coração de alegria”.

Por fim, o ex-atacante César Maluco, segundo maior goleador do Palmeiras (182 gols) e que terá um busto de bronze no clube, também fez uma declaração sobre o recebimento do título remido.

“É uma honra receber este presente e reconhecimento do Palmeiras. Eu já era sócio e participei da vida política do clube como conselheiro, mas agora como remido é muito melhor. Me sinto privilegiado por ser duas vezes homenageado em tão pouco tempo. Primeiro, com a notícia que vou ganhar um busto na sala de troféus do Palmeiras, que meus bisnetos e gerações futuras poderão ver mesmo quando eu não estiver mais aqui. Depois, por mais esta ação nobre da parte do Palmeiras”, contou.

Nasceu no começo de abril? Sua chance de brilhar no Palmeiras é grande!

Por Gabriel Yokota

No calendário de craques palmeirense, os dias 2 e 3 de abril são especiais. Nestas duas datas, nada menos do que cinco jogadores que fizeram História no Palmeiras comemoram mais um ano de vida.

Do Animal ao Divino, passando por dois lendários laterais-direitos e chegando até Jesus. Este é o nível de qualidade que o começo de abril proporcionou ao Verdão.

Arce

Arce

Nascido em 2 de abril de 1971, em Paraguarí-PAR, Francisco Javier Arce Rolón, mais conhecidos para os palmeirenses como “Chiqui Arce”, chegou ao Verdão a pedido de Felipão em 1998.

No Palmeiras, o lateral-direito jogou cinco temporadas, conquistou 4 títulos, marcou 57 gols e colocou seu nome na História do clube como o estrangeiro que mais vezes vestiu o manto alviverde, com 241 partidas.

Depois de 17 anos como jogador, o paraguaio agora é treinador. Começou a carreira no pequeno Club Rubio Ñu, em 2009, e desde então, esteve à frente de seis times: Cerro Porteño (duas vezes), Guaraní, Olimpia, General Díaz, Ohod e Nacional, e por duas vezes comandou a seleção paraguaia. Atualmente, o ex-lateral-direito dirige o Cerro Porteño.

Edmundo

Edmundo

Outro ídolo alviverde que completou 50 anos neste 2 de abril é o Edmundo Alves de Souza Neto. Com cinco títulos na bagagem jogando pelo Palmeiras, dentre eles o Paulista de 93 e os Brasileiros de 93 e 94, o ex-atacante está na primeira prateleira de ídolos entre muitos torcedores palmeirenses.

Por aqui, foram duas passagens (1993 a 1995 e 2006 a 2007), totalizando 223 partidas e anotando 99 gols. Além de craque, Edmundo também ficou conhecido por suas polêmicas dentro e fora de campo. 

Pendurou as chuteiras em 2008, quando atuava pelo Vasco, e logo em seguida iniciou a carreira de comentarista. Na televisão, o Animal teve passagens pela Rede TV!, TV Bandeirantes e, por último, Fox Sports. Em dezembro do ano passado, Edmundo deixou os canais Disney. Recentemente, o ex-jogador acertou com o Grupo Globo, mais precisamente a Globoplay (serviço de streaming), para participar da série “O Jogo que Mudou a História”, que ainda não tem data para estrear.

Ademir da Guia

Ademir da Guia

Maior jogador que já passou pelo Palmeiras, Ademir Ferreira da Guia nasceu no Rio de Janeiro, em 3 de abril de 1942. Pelo Verdão, o Divino atuou por 16 temporadas (1962 a 1977), totalizando 904 partidas e 155 gols marcados, sendo o jogador que mais vestiu o manto alviverde e o jogador com maior número de troféus.

Com ele em campo pelo Verdão, o SCCP jamais conquistou um título. Filho do craque brasileiro Domingos da Guia, Ademir comandou as duas Academias do Palmeiras, nos 60 e 70. Encerrou sua carreira em 1977, aos 35 anos.

Alguns anos depois, em 1984, Ademir vestiu pela última vez a camisa do Palmeiras, em um amistoso disputado no Canindé. Em 2001, teve sua biografia publicada, e cinco anos depois, foi lançado um documentário sobre a sua carreira, intitulado “Um craque chamado Divino”.

Já longe das quatro linhas, o ídolo palmeirense foi eleito vereador da cidade São Paulo, em 2004. Nas eleições de 2014, 2018 e 2020, concorreu às vagas de deputado estadual e vereador, respectivamente, mas sem sucesso. Fora da política atualmente, o eterno camisa 10 está sempre presente em eventos realizado pelo Palmeiras.

Eurico

Eurico

Parceiro de Ademir na segunda Academia do Palmeiras, Eurico Pedro de Faria também faz aniversário no dia 3 de abril. Nascido em 1948, vencedor de cinco títulos com o Verdão, entre eles o bicampeonato brasileiro de 72 e 73, fez parte eficientíssima defesa da Segunda Academia do Palmeiras, junto com Leão, Luís Pereira, Alfredo e Zeca.

Eurico chegou ao Palmeiras em 1968 vindo do Botafogo-SP. O ex-lateral-direito atuou pelo Verdão entre 1968 a 1975, totalizando 470 partidas pelo clube, número que o deixa em segundo lugar entre os laterais que mais jogaram com a camisa alviverde.

Pendurou as chuteiras em 1982, mas não conseguiu se distanciar da bola. No meio para o final dos anos 80, fez parte da Seleção Brasileira de Masters, que reunia grandes nomes do futebol brasileiro para disputar partidas amistosas país afora. Hoje em dia, o ex-craque palmeirense vive em Ribeirão Preto, sua cidade natal; assim como Ademir, participa de alguns eventos promovidos pelo Verdão.

Gabriel Jesus

Para finalizar a galeria de craques palmeirenses que fazem aniversário neste início de abril, temos aqui uma Cria da Academia: neste sábado, o menino que cresceu no Jardim Peri, bairro da zona norte de São Paulo, completa 24 anos.

Gabriel Fernando de Jesus chegou ao Palmeiras em 2013 para jogar no Sub-17. Um ano e seis meses depois, o atacante se destacou e fez História no Estadual da categoria marcando 37 gols em 22 jogos, recorde da competição. Depois de muita badalação por conta de seu desempenho na base, Gabriel estreou no time principal do Verdão em 7 de março de 2015.

Após duas temporadas, nas quais fez 85 jogos, marcou 28 gols e conquistou dois títulos, o jovem craque rumou em direção a Manchester, onde defende o City e segue sua carreira de gols e conquistas.


O Verdazzo é um projeto de independência da mídia tradicional patrocinado pela torcida do Palmeiras.

Conheça mais clicando aqui: https://www.catarse.me/verdazzo.